anunciante ads patrocinio

Mato Grosso do Sul, 20 de agosto de 2022

Saúde recomenda que grávidas usem máscaras para evitar varíola dos macacos

Em casos de testes positivos ou suspeitos, isolamento domiciliar deve ser de 21 dias.
02/08/2022 às 14:36
Campo Grande News, Izabela Cavalcanti
(Arquivo/ Campo Grande News)

Diante dos casos de varíola dos macacos, também conhecido como Monkeypox, o Ministério da Saúde orienta para que gestantes, lactantes e puérperas usem máscaras. A recomendação publicada ontem (1°), em Nota Técnica, também inclui profissionais da saúde.

Para os casos positivos leves ou suspeitos, o isolamento domiciliar precisa ser de 21 dias, além de medir a temperatura e acompanhar, com frequência, as lesões cutâneas. Já nos casos moderados, graves e críticos é indicada a hospitalização.

Conforme a nota, não existe ainda protocolo de tratamento específico com antivirais para grávidas e mulheres no pós-parto. Em todos os casos, é necessário o acompanhamento regular com o obstetra e pediatra.

Entre outras recomendações está o uso de preservativo em todos os tipos de relações sexuais, devido a transmissão pelo contato íntimo ter sido a mais frequente.

Ao todo, Mato Grosso do Sul tem 17 casos suspeitos notificados, sendo nove em investigação, três descartados e cinco confirmados.

Ontem (1°), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que o Brasil vai receber o antiviral Tecovirimat, por meio da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), para o enfrentamento contra a varíola dos macacos.

Plano de contingência - Na última sexta-feira (29), o Ministério da Saúde ativou o Centro de Operação de Emergências (COE) para a elaboração do Plano de Contingência.

Em Mato Grosso do Sul também já está sendo elaborado o Plano, além do boletim diário sobre a doença.

Continue lendo