Governo vai criar política estadual de apoio aos motoristas de aplicativo e de táxi

Pelo menos cinco mil motoristas abandonaram a atividade no último ano só em Campo Grande.

16/09/2021 às 13:12 | da Redação, Bruno Chaves

Motoristas de aplicativo têm enfrentado dificuldades para se manter na profissão desde o início da pandemia de covid-19, em 2020. Aumento nos custos operacionais da atividade, como manutenção veicular a preço dos combustíveis, tem afastado cada vez mais motoristas do serviço, encarecendo e diminuindo a oferta do transporte para os passageiros.

Pelo menos cinco mil motoristas abandonaram a atividade no último ano só em Campo Grande, conforme estimativa do Sindicato dos motoristas de aplicativo e mobilidade urbana (Sindimob-MS). Eram sete mil antes do encarecimento do serviço e agora são dois mil.

Para discutir a crise do setor em Mato Grosso do Sul e encontrar formas de minimizar os impactos na atividade econômica, o governador Reinaldo Azambuja se reuniu com representantes do movimento de motoristas de aplicativos nesta quinta-feira (16), na Governadoria. O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, participou do encontro.

Três pontos principais em benefício ao segmento pautaram a reunião: incentivo estadual para a conversão de veículos convencionais em Gás Natural Veicular (GNV), redução de taxas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e isenção de Imposto sobre a propriedade de veículos automotores (IPVA) de carros cadastrados em aplicativos.

Durante as tratativas, Reinaldo Azambuja disse que vai estudar as propostas. De antemão, ele assumiu compromisso de criar uma política estadual de apoio aos operadores do serviço para incentivar a atividade econômica. Nessa nova política estadual, que será formatada com os profissionais do transporte de passageiros, motoristas de táxi também serão beneficiados. 

"Montamos um grupo de trabalho que rapidamente vai criar uma política estadual em apoio a todo esse segmento", garantiu Reinaldo Azambuja. Segundo ele, o objetivo é "fortalecer a categoria, gerar oportunidades e, principalmente, devolver renda aos motoristas, além de dar mais competitividade à atividade econômica".

O prefeito Marquinhos Trad destacou a busca de alternativas para atender os profissionais, baseada em "uma gestão que olha para as pessoas, para os motoristas e também para os consumidores". Ele ainda disse que acredita que o projeto da política estadual de apoio aos motoristas aplicativos vai andar com agilidade e resolutividade.

Para o presidente do Sindmob-MS, Diego Raulino, a iniciativa do poder público vai fazer o serviço prosperar em Mato Grosso do Sul. "Com essa parceria entre Estado e Município vamos melhorar nosso trabalho, ter mais renda e conseguir trazer aqueles motoristas que saíram de volta, melhorando o atendimento à população", disse.

Gás Natural

Segundo a Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul (MSGás), o GNV é um combustível conhecido pela economia proporcionada aos seus usuários e também por ser considerado um combustível de transição energética, pelos baixos níveis de emissões de poluentes.

Além do menor preço, sua economia é justificada pelo seu alto rendimento em relação aos combustíveis líquidos (etanol e gasolina). Enquanto um veículo na média consome 10 km por litro de gasolina e ou 7 km por litro de etanol, no GNV esse rendimento é de 14 km por m³, ou seja, o GNV rende o dobro do etanol e 40% a mais que a gasolina.

Também participaram da reunião o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Flávio César; o diretor-presidente do Detran-MS, Rudel Trindade; o diretor-presidente da MSGás, Rui Pires; e o diretor-presidente da Agência de Transporte e Trânsito da Capital (Agetran), Janine Bruno.

Mais fotos

Carregando comentários...
Notícias
Variedade

O Idest utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.