Polícia Civil apreende carga de material agropecuário e prende seis pessoas em flagrante

De acordo com o apurado pela Polícia Civil, os produtos estavam sendo negociados por um presidiário, que cumpre pena no presídio de Três Lagoas.

12/01/2022 às 15:10 | da Redação

Foram presos ontem (11), em Três Lagoas, seis indivíduos por receptação e associação criminosa. As prisões foram efetuadas pela Polícia Civil. Os criminosos foram detidos na rua José Lopes Barbosa, no bairro Jardim das Acácias, no município de Três Lagoas, quando carregavam uma grande quantidade de material agropecuário, que foi subtraída, mediante estelionato, de uma empresa localizada na cidade de Rio Brilhante.

De acordo com o apurado pela Polícia Civil, os produtos estavam sendo negociados por um presidiário, que cumpre pena no presídio de Três Lagoas.

Após o recebimento da denúncia de que uma empresa do ramo de vendas de materiais agropecuários, sediada nas cidades de Bandeirantes e Campo Grande, pertencentes aos mesmos proprietários, havia sido vítima de golpe de estelionato e que o material adquirido numa dessas empresas, mais precisamente da cidade de Bandeirantes, no valor de aproximadamente R$ 39 mil havia sido levado para Três Lagoas,  equipes da Polícia Civil na cidade começaram a realizar diligências para localizar os produtos subtraídos e prender os criminosos.

Os policiais civis localizaram um depósito, em uma casa desabitada, na Rua José Lopes Barbosa e perceberam uma movimentação incomum no lugar e passaram a realizar monitoramento. Durante a vigília, foi possível flagrar o momento em que algumas pessoas chegaram ali com caminhonetes e entravam na garagem do imóvel, onde faziam a carga de sal, arame de cerca, dentre outros produtos.

As equipes se aproximaram e realizaram a abordagem. Sete pessoas foram abordadas, sendo: o proprietário da casa, intermediários da venda e adquirentes dos produtos de crimes. Estavam presentes no local, sete pessoas E.P., 54 anos, A.L.A.P., 40 anos, F.M.D., 39 anos, A.A.S., 36 anos, W.F.T., 20 anos,  L.A.J., 38 anos e G.D.S. 35 anos, no entanto, ficou demonstrado que o último citado teria sido apenas contratado para fazer o carregamento da carga.

Conforme as investigações em curso, a carga toda estava sendo negociada por um presidiário conhecido identificado como F.O.S., 32, o qual se encontra preso em Três Lagos, por ter sido alvo de uma operação policial referente a crimes de organização criminosa, cárcere privado, homicídio e tentativa de homicídio, cujas vítimas foram encontradas mortas e carbonizadas na região rural da cidade, fato ocorrido no segundo semestre do ano passado, sendo que as vítimas eram oriundas do estado da Bahia.

Levantamentos da Polícia Civil apontam que os golpistas faziam compras em nome de uma pessoa de bem, já falecida, e depois carregavam os caminhões com as mercadorias e as revendiam no estado a um preço bastante inferior ao de mercado. Segundo o comerciante que foi lesado pelos criminosos, o prejuízo que sofreu gira em torno de R$ 190 mil, sendo que o restante da mercadoria foi direcionado para outra região e ainda não foi localizada.

Os investigados foram presos em flagrante, dos quais quatro por crimes de receptação e associação criminosa, sem direito a fiança, e dois, por crime de receptação, com direito a fiança que foi arbitrada no valor da nota fiscal do produto adquirido, ou seja, R$ 39.166,50 nove mil, valor esse que não foi recolhido, razão pela qual todos foram encaminhados ao presídio local, à disposição da Justiça.

A carga recuperada será inteiramente restituída à vítima.

Carregando comentários...
Notícias
Policial

O Idest utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.