Homem é preso pela Polícia Civil após incendiar casa da ex e ameaçá-la, em Rio Verde

Autor não aceitava fim do relacionamento.

16/09/2021 às 17:03 | do Idest, JWC

Um homem de 28 anos foi preso pela Polícia Civil de Rio Verde de Mato Grosso, nesta quinta-feira (16), em cumprimento a mandado de prisão preventiva, referente a investigação onde ele teria ameaçado e incendiado a casa de sua ex convivente no início deste mês.

Conforme informações da Polícia Civil, a vítima compareceu inicialmente na Delegacia em duas oportunidades, onde registrou os crimes de furto e ameaça supostamente praticados pelo autor, solicitando, na oportunidade, as medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha, de modo a afastar o agressor de sua vida.

Após alguns dias, foi surpreendida com a sua residência em meio ao fogo, que teve toda estrutura prejudicada, com risco de desabamentos, além de ter perdido diversos pertences em razão das chamas.

Foto: Reprodução Instagram @dp.rvmt_pcms

O incêndio estava se alastrando e podia alcançar as propriedades vizinhas, mas foi controlado a tempo por populares que tiveram auxílio do caminhão pipa da prefeitura. A perícia técnica foi acionada, constatando sinais de que o início teria sido criminoso.

Conforme a Polícia Civil, a investigação apontava para o ex convivente da vítima, que não aceitava o término do relacionamento e continuava a perturbá-la, descumprindo as medidas de restrição impostas pelo juiz. Quando questionado a respeito dos fatos, negava veemente ter sido o responsável pelo crime e sustentava que sequer teria se aproximado da casa naquele dia.

Contudo, no decorrer das diligências, o Setor de Investigação conseguiu obter imagens do acusado próximo do local do crime e no horário de início das chamas, desmentindo o seu álibi apresentado na Delegacia de Polícia.

Com base nos elementos colhidos, o delegado Gabriel Cardoso Gonçalves Barroso, representou pela prisão preventiva do investigado, sendo esta imediatamente determinada pelo Poder Judiciário.

O indivíduo encontra-se preso e aguarda vaga no sistema prisional, devendo responder pelos crimes de furto, ameaça, incêndio e descumprimento de medidas protetivas de urgência, cujas penas máximas podem ultrapassar 12 anos de reclusão.

Carregando comentários...
Notícias
Policial

O Idest utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.