Brasileiros são alvo da clonagem de WhatsApp

Já observamos o fenômeno das fake news no WhatsApp, que oferecem perigos sociais, e agora em 2020, o perigo da clonagem de WhatsApp ameaça financeiramente os usuários.

15/12/2020 às 11:01 | da Redação, TechWarn

O aplicativo de mensagens WhatsApp é o principal canal de comunicação de brasileiros, em especial durante a pandemia: De conversas com a família até negociações do trabalho, compras em loja e pedidos de comida, o WhatsApp se tornou parte fundamental do cotidiano do público. E não é à toa, cerca de 92% dos smartphones em nosso território contam com o aplicativo instalado, que por ser gratuito e leve, favorece a acessibilidade.

A conveniência e inclusão digital do aplicativo não podem ser negadas, mas como tudo na internet, alguns riscos também estão envolvidos. Já observamos o fenômeno das fake news no WhatsApp, que oferecem perigos sociais, e agora em 2020, o perigo da clonagem de WhatsApp ameaça financeiramente os usuários.

É fundamental aprender como funciona a clonagem para evitar ser vítima do golpe, além de orientar familiares e amigos para prevenir que cada vez mais conhecidos acabem perdendo dinheiro real com crimes virtuais. Por isso, confira como proteger seu WhatsApp, e qual é o objetivo do golpe abaixo.

 

Protegendo sua conta

Proteção para o WhatsApp Web

O WhatsApp Web é um recurso extremamente útil da plataforma, permitindo a conexão de qualquer computador ao celular para enviar e receber mensagens através do WhatsApp. O problema é que o navegador é vulnerável, permitindo que ataques como roubo de token ou phishing obtenham acesso à conta do WhatsApp. Uma forma de usar o WhatsApp Web sem o risco de comprometer a segurança de sua conta é a instalação de uma extensão VPN no navegador, criptografando a conexão antes de acessar o serviço. 


Pexels/Anton

Proteção contra clonagem de chip

Não é novidade para os usuários que a conta do WhatsApp é associada ao seu número de telefone, que por sua vez, está atrelado ao chip SIM de sua operadora. No entanto, existe uma vulnerabilidade assustadora que permite o roubo de sua conta: Os chips podem ser clonados.

A clonagem de chip geralmente está associada com criminosos que trabalham em conjunto com funcionários corruptos de empresas de telefonia, ou então, que conseguem enganar atendentes honestos mentindo através do suporte por telefone. De uma forma ou de outra, o hacker é capaz de obter um chip com o mesmo número de telefone que a vítima, e assim, acessar o WhatsApp.

Para prevenir o golpe, é preciso ativar a verificação de duas etapas nos ajustes do WhatsApp. Basta abrir o aplicativo, navegar até as configurações, e seguir as instruções para ativação do recurso. Assim, será necessário digitar uma senha de 6 dígitos antes de entrar em sua conta, mesmo que o número de celular seja confirmado via SMS, impedindo que o hacker seja capaz de conectar.

Com a autenticação ativada, é fundamental jamais compartilhar seu código - o suporte do WhatsApp, o Governo ou qualquer outra empresa jamais pedirá ou necessitará dessa informação, então não confie em mensagens que pedem o seu código.

 

Como funciona o golpe da clonagem

O objetivo da clonagem é conseguir acesso à conta do WhatsApp da vítima, e com ela, enganar amigos e familiares para benefício próprio. Geralmente, o hacker envia mensagens para todos os contatos, fingindo ser a vítima que acabou de sofrer um acidente, cobrança de dívida ou outra emergência, então solicitando dinheiro ou serviços.

É importante portanto sempre que receber uma mensagem de amigos ou parentes com algum tipo de emergência, efetuar uma ligação telefônica, por voz, para confirmar o pedido. Se não conseguir entrar em contato com a vítima ou parentes, não faça transferências bancárias e mantenha qualquer pedido em suspenso até conseguir alguma confirmação.

Outra possibilidade é o uso da clonagem para roubar informações confidenciais da vítima, como fotos pessoais ou conversas particulares, para usar como chantagem. Em muitos casos, essa estratégia pode ser elevada ao nível corporativo, com o roubo de dados empresariais e venda para concorrentes. Vale lembrar que, no Brasil, a “Lei Carolina Dieckmann” instaurada em 2013 torna ilegal a publicação de conteúdo privado dos usuários sem autorização.

O golpe tem sido observado com grande frequência na América Latina, principalmente durante o período de quarentena, mas o Brasil é o país onde os criminosos mais conseguem efetuar a clonagem com sucesso. Por isso, mantenha-se sempre atualizado com as melhores práticas de segurança digital, e monitore sua conta em busca de mensagens ou atividades que você não tenha feito, um possível indicativo da clonagem.

Carregando comentários...
Notícias
Ofertas