Esporte do MS já colhe frutos dos investimentos estaduais

E já tem muitos atletas se preparando para grandes competições como as Olimpíadas e Paralimpíadas de Paris em 2024, todos contando com os investimentos do “MS+Esporte” ou do Bolsa Atleta.

27/12/2021 às 13:07 | da Redação

Yeltsin Jacques, Fernando Rufino, Aléxia Nascimento. Nomes do esporte sul-mato-grossense. Talentos que encontraram no governo do Estado o apoio necessário para que pudessem levar o nome de Mato Grosso do Sul aos pódios de competições nacionais e internacionais.

E já tem muitos atletas se preparando para grandes competições como as Olimpíadas e Paralimpíadas de Paris em 2024. Todos contando com os investimentos do “MS+Esporte”, ou do Bolsa Atleta, do MS Olímpico ou ainda treinando em espaços como o Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis – o Guanandizão, que foi totalmente reformado.

O pacotão de R$ 120 milhões, chamado de “MS +Esporte”, engloba a entrega de diversos equipamentos públicos, aumento da oferta do Bolsa Atleta e Bolsa Técnico e a implantação do MS Olímpico - uma nova bolsa auxílio para os medalhistas olímpicos e seus técnicos até Paris-2024. Os paratletas Yeltsin Jacques e Fernando Rufino, o Cowboy de Aço, que conquistaram medalhas de ouro para o Brasil nas Paralimpíadas de Tóquio 2020, se enquadram neste caso.

Rufino, que já treinou em SP, por exemplo, agora pode ficar no seu Estado. Ele treina no Parque das Nações Indígenas e também em casa, em um caiaque ergométrico.

A judoca campo-grandense Aléxia Nascimento recebe incentivo do Governo do Estado desde 2017 e já coleciona diversos prêmios: é tricampeã dos Jogos Escolares, tricampeã brasileira, campeã sul-americana, 5ª no Mundial e, recentemente, foi bicampeã no Pan-Americano Júnior sub-21.

Os programas Bolsa Atleta e Bolsa Técnico tiveram a oferta de vagas ampliada em mais de 45% chegando a 394 benefícios pagos, e o “MS Olímpico” paga de R$ 5 mil a R$ 7 mil mensais aos medalhistas e R$ 3 mil para os técnicos, até a Olimpíada de Paris-2024.

Já o programa “MS bom de bola” prevê a instalação de 117 arenas esportivas com gramas sintéticas nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. 90 arenas já foram licitadas, sendo que 60 delas incluem espaço para basquete.

O “MS +Esporte” contempla ainda a reforma do Estádio Morenão; construção da pista oficial de skate das Moreninhas e da piscina olímpica no parque Ayrton Senna, ambos na Capital, de dois centros de excelência em atletismo, em Ponta Porã e Chapadão do Sul; e reformas e construções de ginásios em 12 municípios.

Sem falar nos convênios com a Federação de Clubes de Laço Comprido, com a equipe de vôlei da Copagaz para a disputa da Superliga C, com clubes de futebol para a disputa do Campeonato Sul-Mato-Grossense 2022, e com o Costa Rica Esporte Clube e Dourados Atlético Clube, que jogarão a Série D do Brasileirão em 2022.

O Governo do Estado também apoia e co-organiza grandes eventos: Brasil Ride de Mountain Bike, Eco Pantanal Extremo - Jogos de Aventura, Campeonato Brasileiro de Motocross, Campeonato Brasileiro de Basquete em cadeira de rodas, Campeonato Brasileiro de Paracanoagem, Campeonato Brasileiro de Ginástica e Campeonato Estadual da Liga Terrão.

Mais fotos

Carregando comentários...
Notícias
Esporte

O Idest utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.