Prefeitura de São Gabriel do Oeste investe em salas de tecnologia para alunos sem acesso à internet

O investimento visa garantir as condições de segurança necessárias para que estes estudantes tenham acesso às atividades pedagógicas, durante o período de pandemia.

05/08/2020 às 07:34 | da Assessoria

Visando atender aos alunos da rede municipal de ensino que não possuem acesso à internet, a Prefeitura Municipal de São Gabriel do Oeste investiu em equipamentos para adaptar as salas de tecnologia de todas unidades escolares. O investimento visa garantir as condições de segurança necessárias para que estes estudantes tenham acesso às atividades pedagógicas, durante o período de pandemia. 

Além de equipamentos eletrônicos como notebooks e computadores, a Secretaria Municipal de Educação investiu mais de R$ 23 mil na aquisição de produtos de proteção aos alunos. Foram adquiridos termômetros profissionais, suportes para álcool e papel toalha, óculos de proteção, luvas e máscaras descartáveis, álcool 70%, borrifadores e bombas para desinfecção das salas de aula. 

De acordo com a secretária de educação, Ivaneia Berto Barbosa, a preparação das salas não significa o retorno das aulas presenciais, apenas possibilita acesso aos alunos que estão deixando de fazer suas atividades por falta de internet. “Chegamos a essa decisão após uma pesquisa realizada com as famílias, onde o alto índice de alunos evadidos e sem acesso à internet nos preocupou. Estamos realizando a busca ativa desses alunos, mas não poderíamos realizar aulas presenciais, sem antes garantirmos condições de segurança para estudantes e professores”, explicou. 

Foto: Divulgação Assessoria Prefeitura

Para organizar o acesso dos alunos, cada unidade escolar organizará um cronograma aos alunos que não possuem acesso à internet, onde cada aluno terá acesso à sala de tecnologia uma vez por semana, por no máximo 2 horas, de acordo com a demanda. O atendimento será realizado por técnico responsável pela sala e acompanhamento de um professor. 

Segundo o prefeito Jeferson Tomazoni, foram utilizados recursos próprios na ordem de R$ 23.716,60 para compra dos equipamentos. “Nosso intuito é promover educação com saúde, para que nossos alunos e professores estejam em um ambiente saudável, com a sanitização adequada para garantir a segurança. Nossa educação não pode parar, mas reforço que esse atendimento é destinado para crianças que não possuem acesso à internet e que precisam dar continuidade as atividades remotas desenvolvidas pelos professores”, explicou.  

O horário de atendimento das escolas também será expandido para atendimento desses alunos, passando ao horário normal, ou seja, das 7 às 11 horas e das 13 às 17 horas. O Comitê de Contingência para Prevenção e Enfrentamento ao novo coronavírus já deliberou sobre a proposta, aprovando o atendimento dos alunos nos moldes especificados.

Carregando comentários...
Notícias
Educação