Temporal causa estragos nas regiões Sul e Sul-Fronteira de MS; Defesa Civil contabiliza danos

Pelo menos nove cidades foram gravemente afetadas: Caarapó, Coronel Sapucaia, Deodápolis, Dourados, Ivinhema, Itaporã, Juti e Nioaque.

26/10/2020 às 16:01 | da Redação, Bruno Chaves

Municípios das regiões Sul e Sul-Fronteira contabilizam estragos causados pelo temporal que atingiu Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (26), informou o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Fábio Catarineli.

Pelo menos nove cidades foram gravemente afetadas: Caarapó, Coronel Sapucaia, Deodápolis, Dourados, Ivinhema, Itaporã, Juti e Nioaque.

Há registros de destelhamento de casas e queda de árvores em várias localidades. Postes de energia elétrica foram danificados em Itaporã. Em Ivinhema, uma casa foi alagada e a família precisou ser retirada do local.

Homens do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do Exército auxiliam na organização dos municípios. Em Dourados, a Prefeitura Municipal já decretou situação de emergência por causa dos prejuízos causados pela tempestade.

"Equipes municipais de Defesa Civil estão fazendo avaliação de danos. Já temos alguns relatos de estragos. Mas precisamos desse levantamento oficial para inserir no sistema", explicou o coordenador da Defesa Civil Estadual.

Contabilizar a destruição das chuvas pode demorar até dois dias, destacou Catarineli. Depois desse trabalho, gestores municipais vão se empenhar na busca de recursos para consertar as cidades. Um dos instrumentos para isso é o decreto de situação de emergência.

Atuação em Deodápolis. Foto: Divulgação Defesa Civil

Alerta

Mato Grosso do Sul está em alerta para chuvas intensas desde o início desta segunda-feira. Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o Estado pode registrar precipitação de até 100 milímetros por dia. Já as rajadas de ventos podem variar de 60 a 100 quilômetros por hora.

Existe risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas. Por isso, não é recomendado se abrigar debaixo de árvores e estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.

Mais informações podem ser obtidas junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (193).

Mais fotos

Carregando comentários...
Notícias
Cidades