Comarca de Rio Verde implanta projeto Padrinho

Imagem: Divulgação TJMS

Segundo o juiz Rafael Gustavo Mateucci Cassia, é possível participar do Projeto Padrinho de diferentes formas, basta que os padrinhos escolham a que melhor se enquadra em perfil

12/07/2019 às 07:57 | da Redação
A comarca de Rio Verde de Mato Grosso realizou, na noite desta quarta-feira (10), no plenário do Tribunal do Júri, uma solenidade para implantação do Projeto Padrinho. O juiz Rafael Gustavo Mateucci Cassia apresentou a proposta à sociedade rio-verdense durante a cerimônia, que teve a participação da sociedade civil, de integrantes do poder público e autoridades locais.
 
Durante a apresentação foram distribuídos panfletos e materiais que serão utilizados como divulgação do Projeto Padrinho em Rio Verde e as meninas do Projeto Paineira Rosa fizeram uma apresentação que emocionou os presentes. 
 
Segundo o juiz, o intuito do evento foi divulgar o projeto principalmente para que as entidades que atuam diretamente com a população ajudem a conquistar mais padrinhos. “As crianças que vivem hoje no Lar da Criança necessitam de mais atenção, se não de seus familiares, mas de pessoas de bom coração que queiram adotar ou, pelo menos, transmitir carinho a elas. É possível participar do Projeto Padrinho de diferentes formas, basta que os padrinhos escolham a que melhor se enquadra em perfil”.
 
A vice-prefeita Dinalvinha Viana parabenizou o Poder Judiciário por tão bela iniciativa de município. “A Secretaria de Assistência Social é parceira do Projeto Padrinho para dar mais dignidade às nossas crianças, que tanto necessitam de proteção e carinho”, disse.
 
A assistente social Camila Santos de Almeida, servidora do judiciário e responsável pelo Projeto Padrinho naquela comarca, agradeceu de modo especial ao juiz pela iniciativa de implantar o Projeto Padrinho em Rio Verde de MT e a técnica Enilda Machado, da Coordenadoria da Infância e Juventude de MS (CIJ), lembrou que a maioria das crianças e jovens que vivem em instituições de acolhimento por muito tempo sofre com a incerteza do futuro, sem saber se voltarão à família biológica.
 
Responsável pelo Projeto Padrinho na Capital, Andréa Espíndola apontou que o Projeto Padrinho existe para garantir mais qualidade de vida a crianças e adolescentes que sofrem com abandono físico e afetivo. 
 
É importante salientar que a auxílio dos padrinhos vai além da ajuda financeira. A ajuda afetiva é essencial para um bom acolhimento, pois a finalidade do projeto é proporcionar melhoria na qualidade de vida dessas crianças e adolescentes. Alguns padrinhos continuam mantendo laços com essas crianças e colaborando com seu lazer.
 
Assim, além do apadrinhamento afetivo que recebe as crianças nos lares, existem outros tipos de apadrinhamento: o padrinho financeiro, padrinho doador de materiais e o padrinho prestador de serviço.
Carregando comentários...
Notícias
Variedade