Comarca de Pedro Gomes lança o programa Família Acolhedora

Imagem: Divulgação TJ/MS

O evento foi uma oportunidade para que as pessoas envolvidas na ação pudessem fazer esclarecimentos e tirar dúvidas acerca do assunto.

23/10/2017 às 07:51 | da Redação
A Comarca de Pedro Gomes deu mais um passo rumo à implantação do programa Família Acolhedora, com o lançamento oficial do edital para que as famílias interessadas possam se inscrever. Além disso, o evento realizado na última quinta-feira (19), no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), voltado para a população em geral, foi uma oportunidade para que as pessoas envolvidas na ação pudessem fazer esclarecimentos e tirar dúvidas acerca do assunto. 
 
O evento contou com a presença de autoridades locais como o prefeito William Luiz Fontoura, a vereadora Tânia Fontoura Marcelino de Moraes, relatora do projeto que deu ensejo à Lei Municipal n. 1.294/17, que instituiu o serviço de acolhimento familiar, a secretária municipal de assistência social, Jani Maria Cúnico de Oliveira, o defensor público Arthur Demleitner Cafure, a equipe técnica do Núcleo Psicossocial do Poder Judiciário, representada pela assistente social Rita Olinda Diniz Marques e pelo psicólogo Rodrigo Kenji Miyazaki de Souza, as equipes técnicas do CREAS e do CRAS, bem como da assistente social de Camapuã, Dirlene Joceli Colla da Silva, além do juiz titular da Vara Única, Francisco Soliman.
 
O juiz explica que os próximos passos, após a noite de ontem, é fazer com que as famílias dispostas a participarem se cadastrem para que depois a equipe técnica faça a seleção e capacitação delas e, assim, deem início ao acolhimento. Por sua vez, a equipe técnica passará por um curso de capacitação com os servidores de Camapuã, cidade referência quando o assunto é acolhimento familiar de crianças e adolescentes.
 
“Essa ação é muito positiva para a cidade, pois tem o objetivo de permitir a concretização do direito que a criança tem de conviver em uma família, diminuindo ou até eliminando o número de crianças e adolescentes em instituição de acolhimento. Enquanto estiver com a família acolhedora a criança terá um atendimento individualizado e afetuoso, o que diminui o sofrimento daquele que foi retirado temporariamente da família de origem até que se resolva a situação jurídica envolvida. A ideia central é oportunizar que a criança e o adolescente seja colocado em uma família enquanto o processo está em curso, podendo voltar à família de origem quando superados os problemas verificados”, esclarece o juiz.
 
Vale lembrar que as famílias interessadas em participar do programa poderão fazer seu cadastramento do dia 23 de outubro ao dia 23 de novembro, na sede do Centro de Referência Especializado de Assistência Social de Pedro Gomes.
Carregando comentários...
Notícias
Variedade