Sonora: MPMS recebe denúncia de emissão de diárias e Câmara se pronuncia

Imagem:

Apenas dois vereadores são citados na denúncia e MPMS pede esclarecimentos.

13/02/2020 às 13:19 | do Idest, Eder Pereira

Após o Ministério Público Estadual receber a denúncia relativa a diárias emitidas a dois vereadores de Sonora no ano de 2019, onde supostamente foram feitas de forma irregular, a Câmara de Vereadores emitiu nota à imprensa afirmando que os números são mentirosos e a denúncia é eleitoreira e infundada.

De acordo com denúncia apresentada ao MPMS, fala sobre diárias emitidas em 2019 a dois vereadores, que somam de R$ 79 mil e que supostamente seria para complementação de salário de ambos, fato que será apurado pelo Promotor de Justiça, Adriano Barrozo.

O Inquérito Civil n.° 06.2020.00000118-4, diz que supostamente os vereadores tenham recebido indevidamente as diárias e pede esclarecimento do Legislativo Municipal, bem como a apresentação de documentos comprobatórios a cerca dos fatos citados.

Nossa equipe entrou em contato com o atual presidente da casa de Leis, vereador Raphael de Lemos Zauchin (MDB) que emitiu a seguinte nota.

Câmara Municipal de Sonora

NOTA A IMPRENSA

Em resposta a matérias veiculadas na mídia, a Câmara Municipal de Sonora vem por meio desta se pronunciar a respeito dos fatos, inverídico e controverso a veracidade dos fatos.

Conforme relatado no Jornal Pedro Gomes News, existe sim uma DENÚNCIA (a apurar e em época de eleição) no Ministério Publico Estadual a respeito de darias, porém os dados relacionados não condizem com a verdade dos fatos.

Essa presidência reafirma o compromisso com a população e destaca que as diárias emitidas aos 11 (onze) vereadores são devidamente amparadas pela Lei vigente e comprovadas através de recibos e justificativas apresentadas pelos senhores vereadores para estarem em locais públicos com a única e exclusiva finalidade de buscar melhorias para a cidade, como viagens a Campo Grande e a capital do Brasil Brasília (DF).

Assim como o Executivo Municipal (Prefeito), o Legislativo Municipal (vereadores) tem o dever de buscar junto a Assembléia Legislativa e seus Deputados e em Brasília na Câmara Federal, no Senado e na Presidência do Brasil, melhorias para Sonora e para tanto, existe o deslocamento que gera despesas, destacando também que decorrente a isso gera benfeitorias para a cidade com vinda de verbas destinadas a obras, compra de equipamentos, de medicamentos, de implementos e maquinários que atende as todas as gerências.

Destacamos ainda que sem a força política conjunta dos vereadores, nenhum recurso seria possível de conquistar. Sem a ajuda dos vereadores o prefeito não conseguiria gerar receita suficiente para realizar o mínimo, que é administrar a cidade, tão pouco manter o salário do funcionalismo em dia, com aprovação de Leis, dotação orçamentária e busca de recursos externos.

Esta presidência lembra que é ano eleitoral e que ataques a honra podem acontecer, mas não pode apagar o que vem sendo feito pelos parlamentares em favor da população, destacando a devolução de parte do duodécimo, sendo só em 2019 o valor de R$ 140 mil, que foram R$ 60 mil ao Hospital, R$ 40 mil ao Conselho de Segurança (monitoramento por Câmeras), R$ 20 mil para APAE e R$ 20 mil para o Projeto Esperança, apenas em 2019 e mais R$ 20 mil no mês de janeiro de 2020, feito nunca realizado por nenhum presidente na história do Legislativo.

A Câmara de vereadores diz ainda que não á suplementação de salário e tão pouco pagamento de diárias sem a devida comprovação, pelo menos de 2019 até a emissão desta NOTA, período ao qual responde esta presidência.

Para finalizar, destacamos que a Câmara de Vereadores de Sonora está a inteira disposição do MP e lembra que todas as despesas estão inseridas no Portal da Transparência a disposição da população e que os fatos serão devidamente apurados e comprovados a inexistência de irregularidades.

Assina, Raphael de Lemos Zauchin, vereador Presidente.

Carregando comentários...
Notícias
Política