Polícia desarticula organização criminosa especializada em furto de gado que agia no norte de MS

Foram presos seis suspeitos. Uma das vítimas é moradora de São Gabriel do Oeste e possui propriedade na região de Bandeirantes.

11/04/2018 às 11:17 | da Redação

A Polícia Civil através da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), desarticulou na última segunda-feira (09), uma organização criminosa especializada em furto de gado e prendeu seis indivíduos que estaria agindo na região norte do Estado, em especial Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Camapuã, entre outros municípios.

De acordo com a Polícia Civil, foram presos Genivaldo José de Almeida, de 42 anos, Simão Oliveira da Costa, de 26 anos, Marcelo Gomes da Silva, de 24 anos, Nilo Cunha, de 54 anos, Edvaldo Ortiz, de 49 anos e Sergio Luiz de Barros, de 45 anos.

Segundo a Polícia Civil, os policiais do Garras lotados na seção Abigeato, realizavam diligências visando a identificação e prisão de integrantes da organização criminosa que além da região norte de MS, já havia praticado diversas ações na região de Ribas do Rio Pardo e Três Lagoras e região, sendo que a o gado furtado era levado para outros Estados, utilizando-se notas fiscais e GTA emitidas por contadores envolvidos no crime e também por pessoas que possuem inscrição junto ao Iagro e Agenfa. 

Policiais obtiveram informação de que a organização estaria na região de Bandeirantes e iria efetuar embarque de gado de uma propriedade rural, sendo organizada uma operação policiail pela equipe Abigeato, com apoio dos policiais do plantão do GARRAS. Já no local foram identificados os supeitos, assim como os veículos, sendo que  os caminhões estavam totalmente carregados com bois gordo, totalizando 45 animais de grande porte, avaliados em mais de R$ 100 mil.

De acordo com a Polícia Civil, Simão foi preso em flagrante na posse de uma arma de fogo, as investigações já indicavam que a organização teria integrantes com funções muito bem definidas, sendo que Genivaldo seria um dos chefes, com participação direta nos crimes e “escalaria” os outros integrantes de acordo com suas habilidades. Edvaldo seria o responsável pelo contato com os motoristas e posterior venda dos animais, ficando responsável pela obtenção de notas fiscais e GTA. Haveria a função de motoristas, que nessa ação foram Sergio e Nilo, inclusive conforme apurado pela Polícia Civil um desses caminhões seria de Edvaldo, sendo o caminhão que estava sendo conduzido por Sergio. Marcelo e Simão seriam os integrantes responsáveis por manejar o gado e ganhariam parte do valor obtido com a venda da res furtiva. 

Carregando comentários...
Notícias
Policial