Polícia Civil prende estuprador que engravidou a enteada com consentimento da mãe

Imagem: Divulgação Polícia Civil

Após o oferecimento da ação criminal, o casal teve suas prisões decretadas e estavam foragidos desde julho do ano passado.

09/10/2019 às 11:31 | da Redação

Uma equipe da Polícia Civil de Ladário deflagrou, na manhã desta terça-feira (08), uma operação que resultou na prisão de um homem de 47 anos e sua convivente, de 28 anos. Segundo a investigação, entre os anos de 2015 e 2016, ele abusou sexualmente de sua enteada, de apenas 11 anos, resultando na gravidez dela.

Conforme a investigação, a mãe da vítima tinha ciência dos abusos e de que o pai da criança era seu companheiro, no entanto, não tomou atitude alguma, sendo conivente com o estupro e dando seguimento ao seu relacionamento.

Após o oferecimento da ação criminal, o casal teve suas prisões decretadas e estavam foragidos desde julho do ano passado. Nos meses de julho a agosto deste ano a Polícia Civil de Ladário recebeu mais denúncias de pelos menos duas vítimas menores de idade que teriam sido abusadas pelo homem, mesmo estando foragido.

Diante da reiteração dos crimes de estupro, a Polícia Civil efetuou diligências e conseguiu localizar o endereço dos autores. De acordo com setor de inteligência, as informações levantadas davam conta de que eles se esconderam em áreas rurais na região da fronteira entre o Brasil e a Bolívia, tendo inclusive se ocultado no país vizinho.

O setor de investigação monitorou os autores e aguardou eles voltaram para a cidade de Corumbá, conseguindo prendê-los na casa da mãe do autor, no Conjunto Novo Habitar (Bairro Guatós), em Corumbá.

Eles foram presos e serão recambiados ao Estabelecimento Penal de Corumbá, a fim de aguardarem o término do julgamento do processo e dos demais inquéritos policiais que ainda estão em curso, que investigam o crime de estupro de vulnerável.

A Polícia Civil de Ladário ressalta que possui o sistema de disque-denúncia. A população poderá denunciar via aplicativo Whatsapp qualquer prática delituosa pelo número 67.99668.1679. O sigilo da identidade e número telefônico serão mantidos.

Carregando comentários...
Notícias
Policial