PMA autua mulher em R$ 10 mil por degradação de nascentes e matas ciliares

Imagem: Divulgação PMA

A autuada também responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP). A pena é de um a três anos de detenção.

14/02/2020 às 09:33 | da Redação

Em fiscalização em uma propriedade rural no município de Coronel Sapucaia, Policiais Militares Ambientais de Amambai localizaram, na última quinta-feira (13), diversas erosões por ravinas e voçorocas e outras degradações ambientais por falta de conservação do solo, inclusive, em áreas protegidas de preservação permanente (APP).

Uma voçoroca era tão profunda que atingiu o lençol freático, bem como áreas protegidas de nascentes e matas ciliares, causando assoreamento de mananciais na propriedade. A falta de conservação do solo na fazenda fez com que ocorressem os processos erosivos e fossem carreados sedimentos, causando principalmente o assoreamento de um curso d’água que corta a propriedade. O gado bovino tinha acesso as áreas protegidas, o que contribuiu com os processos erosivos.

As atividades foram paralisadas e a infratora de 51 anos, residente em Coronel Sapucaia, foi autuada administrativamente e multada em R$ 10.000,00. A autuada também responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP). A pena é de um a três anos de detenção.

A infratora foi notificada a apresentar junto ao órgão Ambiental Estadual um Plano de Recuperação de Área Degradada e Alterada (PRADA).

Carregando comentários...
Notícias
Policial