Lutador sul-mato-grossense, aliviado após conquistar primeira vitória no UFC Rio

Imagem: Adriano Albuquerque

Após empatar na estreia na organização e perder em seguida, brasileiro admite que situação era complicada, mas cita erros corrigidos até luta em que finalizou Wallhead.

05/06/2017 às 09:53 | Combate

O peso-meio-médio Luan Chagas chegou à sala de imprensa parecendo ter tirado um peso enorme das costas. Vindo de uma derrota e um empate em suas duas primeiras lutas no Ultimate, o lutador sul-mato-grossense enfim conseguiu a sonhada primeira vitória na organização, depois que finalizou o britânico Jim Wallhead com um mata-leão no segundo round em luta do card preliminar do UFC Rio 8.

"A sensação (de vencer) é algo muito emocionante mesmo. Só quem já perdeu dentro do UFC para saber como isso é duro. E foi um trabalho muito forte que a gente fez. Procurei ver onde tinha errado nas minhas últimas lutas e procurei trabalhar o máximo possível nisso, e foi o que a gente acertou agora (...). A pressão aumenta quando você vem de derrota, estava vindo de um empate e uma derrota. Por mais que tenham sido lutas boas, precisava ganhar. Estava num beco sem saída. E apesar dessa pressão, não podia deixar ela me dominar. Sabia que essa pressão tinha que jogar a favor de mim, e usei ela para treinar o dobro do que treinava", afirmou o lutador, agora com 15 vitórias na carreira, que ainda tem duas derrotas e um empate.

Sobre a luta no Rio, Luan admitiu ter se surpreendido com a resistência do adversário, que fazia sua segunda luta no UFC, depois de perder também na estreia.

"Jim foi um cara muito duro, aguentou muita porrada. Acertei vários golpes nele no primeiro round e ele continuava vindo, mas meu ímpeto era esse, bater até acabar a luta. E foi o que a gente fez. Mas foi um cara muito duro, aguentou bem os golpes, coisa que não esperava. Achei que ele ia ceder um pouco antes, mas foi um adversário muito resistente".

Luan Chagas perdeu para Erick Silva em setembro do ano passado, e só agora voltou ao octógono. Aparentemente sem ferimentos graves, ele quer estar logo em ação de novo.

"Pretendo voltar o quanto antes, se não tiver nenhuma lesão grave - e acho que não tenho - mês que vem já quero estar aí (risos). Dana White, me chama logo que estou pronto!"

E por falar numa próxima luta, Luan se disse ciente de que não tem condições de exigir adversários. Ele sabe que o caminho até esse patamar ainda precisa ser construído.

"Estou chegando agora, não adianta falar que vou pegar todo mundo, preciso ir com calma. Vou trabalhando, buscando novas vitórias, mas quem aparecer tenho certeza que vou fazer um bom trabalho para vencer", completou.

Carregando comentários...
Notícias
Esporte