Pesquisa de Biólogo de São Gabriel do Oeste é premiada em congresso de geneticistas

A pesquisa de Lucas também foi selecionada e apresentada em congresso realizado em outubro deste ano em Mendoza, na Argentina.

14/12/2019 às 10:23 | do Idest, JWC

Lucas Pessatto recebendo o prêmio no Congresso. Foto: Divulgação UFMS

O Biólogo formado em São Gabriel do Oeste, o Me. Lucas R. Pessatto, recebeu dois prêmios no 1º Congresso Interdisciplinar de Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste e do 5º Congresso de Genética do Centro-Oeste, que foram realizados na última semana, de 2 a 7 de dezembro, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Lucas é Biólogo pela UFMS formado no polo de São Gabriel do Oeste, possui Mestrado pela mesma instituição e atualmente está em fase de conclusão do seu doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Estadual de Londrina – UEL. As premiações recebidas foram o I Prêmio Geneticista do Centro-Oeste Dra. Cacilda Borges do Valle e o I Prêmio Painel Geneticista Dra. Cacilda Borges do Valle no 5° Congresso de Genética do Centro-Oeste, através de sua pesquisa onde avalia a atuação do benzeno sobre a medula óssea.

Nos dois congressos foram abordados temas como genética, biologia molecular, utilização de células tronco para tratamentos, medicina esportiva, entre outros que foram tratados em palestras, simpósios, atividades interativas e mais de 20 cursos intensivos, além da apresentação de pesquisas científicas de diversos lugares do país.

A pesquisa foi desenvolvida no Centro de Estudos em Células Tronco, Terapia Celular e Genética Toxicológica (Cetrogen), localizado no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian em Campo Grande, sob orientação dos Professores Dr. Rodrigo Juliano Oliveira e do Dr. Edgar Julian Paredes Gamero. Os resultados do trabalho também haviam sido selecionados para serem apresentados no XVII Congresso Latino-Americano de Genética, XLVII Congresso Argentino de Genética, LII Reunião Anual da Sociedade de Genética do Chile, VI Congresso da Sociedade Uruguaia de Genética e V Simpósio Latino-Americano de Citogenética e Evolução realizado em outubro deste ano na Argentina, realizado na cidade de Mendoza.

Segundo explicação de Lucas ao Idest, o objetivo do estudo é desenvolver um modelo em camundongos de uma doença hematológica grave, bem como avaliar a atividade do benzeno no DNA das células medulares desses animais e investigar as respostas celulares da medula óssea. “Desenvolvemos um modelo experimental para pesquisa, padronizamos a indução da anemia aplásica por meio do benzeno, além disso conseguimos quantificar a redução das Células Tronco Hematopoiéticas e dos Progenitores Hematopoiéticos e demostrar quais tipos celulares são mais atingidos pelos metabólitos do benzeno, algo inédito para a ciência”, explicou Lucas.

A pesquisa está sendo continuada com testes voltados ao transplantes de Células Tronco Mesenquimais e no próximo ano deverá render publicações cientificas importantes em revistas de impacto internacionais. O professor e orientador Dr. Rodrigo Juliano Oliveira destaca que “O trabalho do Lucas, em especial, foi desenvolvido no CeTroGen e é o primeiro de uma linha que demonstra que as células tronco mesenquimais podem ser utilizadas para o tratamentos de doenças como a aplasia, que é um tipo de anemia muito forte e de leucêmicas que necessitem de transplante de Células Tronco”, conclui o pesquisador.

Carregando comentários...
Notícias
Educação