Fio despenca e mata entregador de carvão com choque de 9 mil volts em Campo Grande

Imagem: Bruno Henrique/Correio do Estado

Corpo de Bombeiros e Samu tentaram reanimar vítima por 1h10.

14/11/2019 às 09:59 | Correio do Estado

O entregador de carvão Edilson Cabral Pereira, de 49 anos, morreu depois de receber uma descarga elétrica na manhã desta quinta-feira (14), quando fazia uma entrega na rua Ana Luíza de Souza, quase esquina com a rua Francisco dos Anjos, no bairro Pioneiros, em Campo Grande.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que atendeu a vítima junto com equipe do Samu, Edilson estacionou o caminhão em frente ao açougue onde faria a entrega de carvão. Neste momento, um cabo de alta tensão se desconectou do transformador e caiu sobre o veículo.

A vítima, porém, não percebeu o que havia acontecido e foi abrir o caminhão para pegar a carga, momento em que foi eletrocutado. Conforme a funcionária de um estabelecimento próximo, ela ouviu o transformador estourar e viu um clarão.

A cozinheira Daiane Pires, 29 anos, contou que depois do clarão ficou um tempo dentro do estabelecimento e quando saiu viu o entregador caído no chão, já inconsciente. Comerciantes e moradores acionaram os bombeiros e uma equipe da Energisa.

Depois 1h10 tentando reanimar a vítima, ele faleceu dentro da viatura do Samu. Familiares de Edilson foram ao local para acompanhar o atendimento ao entregador. O Corpo de Bombeiros estima que a vítima tenha tomado um choque de aproximadamente 9 mil volts.

Conforme o cunhado da vítima, que se identificou apenas como Orlando, a irmã do entregador e toda sua família estavam muito abalados pelo acidente. “Meu cunhado estava trabalhando e aconteceu uma fatalidade dessas”, afirmou.

Mesmo após o acidente, o cabo que caiu em cima do caminhão continuava energizado e estava caído no chão. A quadra em volta do acidente foi toda bloqueada por conta disso e uma equipe da Energisa foi ao local para tentar desligar a energia da região e evitar novos acidentes.

Nesses casos, o Corpo de Bombeiros orienta que as testemunhas não entrem em contato com a vítima. “Se caso houver um acidente como esse, as pessoas que estão de fora não devem ir até a pessoa para tentar ajudar ou reanimar. Evitar contato em situação de acidentes elétricos, só quem pode socorrer é Corpo de Bombeiros e Energisa”, orientou o tenente Peter.

Carregando comentários...
Notícias
Cidades