Novo terminal ferroviário de Chapadão do Sul melhora logística e já reflete na renda do produtor

Imagem: João Prestes

Secretário de Estado Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, prevê que o terminal deva atrair a produção de toda região Norte de MS e até de municípios de Goiás que fazem divisa com Chapadão do Sul.

03/07/2018 às 13:18 | da Redação, João Prestes

O novo terminal ferroviário de Chapadão do Sul, que será inaugurado nesta quarta-feira (07), já representa uma melhoria significativa na renda dos produtores da região ao reduzir custos com transportes e melhorar a logística, afirma o secretário de Estado Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

“Desde o início do Governo, temos feito um trabalho forte com a Rumo para reativação desse terminal. O foco é a melhoria e a redução dos custos logísticos. Sempre que o Governo fala de uma estratégia de melhoria logística, está procurando meios que faça uma redução de custos. E a ferrovia, como meio já estabelecido, gera transporte mais eficiente e barato”, pontua.

A Rumo Logística (concessionária que administra a Ferronorte), em parceria com a Engelhart Commodities Trading Partners (ECTP), investiram R$ 27 milhões na ampliação do Terminal de Chapadão do Sul, que passa a ter capacidade para embarcar até dois milhões de toneladas de grãos ao ano, crescimento estimado superior a 300%. Reativado em fevereiro de 2017, o terminal movimentou 600 mil toneladas de soja e milho até o fim do ano.

O plano de obras foi dividido em duas etapas: começou pela reforma estrutural do terminal para garantir a reativação das operações e, em seguida, na segunda fase, os serviços foram concentrados na ampliação da estrutura. Foram instalados um novo tombador e duas novas tulhas, com aumento na capacidade estática de 9 mil para 39 mil toneladas.

Jaime Verruck prevê que o terminal deva atrair a produção de toda região Norte do Estado e até de municípios de Goiás que fazem divisa com Chapadão do Sul. “Isso mostra que, quando a logística é mais competitiva, ela gera um aumento direto de renda e na economia”, pondera.

O secretário lembra que, nessa mesma ferrovia, foi inaugurado no ano passado o terminal de celulose de Aparecida do Taboado. “Então, hoje essa ferrovia já está levando celulose, agora a parte de grãos e, futuramente, etanol. Portanto ela está focada em commodities. Dessa forma nós podemos, a partir desse terminal, mandar etanol para São Paulo e trazer combustível de São Paulo para Chapadão.”

A Ferronorte ou Ferrovia Norte Brasil (EF-364) estende-se por 755 quilômetros, de Santa Fé do Sul (SP) a Rondonópolis (MT), cortando em seu trajeto o Nordeste de Mato Grosso do Sul. A Ferronorte, junto com a Malha Paulista, forma o principal corredor de exportação agrícola do Brasil, ligando as regiões produtoras de grãos do Centro-Oeste brasileiro ao porto de Santos.

Carregando comentários...
Notícias
Agronegócio