Mato Grosso do Sul, 21 de Outubro de 2014

Rolim reivindica melhorias para os assentamentos Itaqui e Patativas

da Redação | 08.08.2013 | 11h34 | Imprimir  

Foto: Victor Currales

Quarenta dias após terem interditado a trafego da BR-163 em São Gabriel do Oeste, representantes dos assentamentos Itaqui e Patativas, liderados pelo prefeito Adão Unirio Rolim e uma comitiva composta pelos vereadores, Marcos Paz, Rosmar Alves, Leocir Montagna e ainda pelo secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, Leo Luis Grison, estiveram na sede regional do Incra em Campo Grande, para buscar junto aquela Superintendência brevidade nas reivindicações para as mais de 240 famílias assentadas.

A comitiva de São Gabriel do Oeste foi recebida pelo superintendente substituto Celso Menezes de Souza, que ouviu do prefeito Rolim que por ser filho de pequeno agricultor é muito ligado às questões da agricultura familiar entende que os problemas dos assentados estão mais para o município que para o Incra, mas que têm na pauta várias reivindicações trazidas que darão condições dignas de vida, trabalho, moradia, produção e, consequentemente o desenvolvimento do município como um todo.

Entre as principais reivindicações estão a água potável, crédito de apoio, estradas, linhas de ônibus para levar e trazer assentados à cidade, energia elétrica para 74 lotes que ainda não tem e mais lotes para pessoas que estão aguardando acampados na estrada próximo aos assentamentos Itaqui e Patativa.

Já a presidente do Sindicado dos Trabalhadores Rurais, Francineide Silva, por sua vez reivindica maior atenção às famílias que estão à mercê de uma água contaminada dizendo que já foram realizados testes que constataram que a água que eles consomem hoje é impropria para o consumo. “Nossas crianças estão ficando doentes, vários assentados estão com problemas nos rins por consumir essa água impropria” afirmou Francineide.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Meio ambiente do município, Leo Grison, disse que a Secretaria está dentro da comunidade com ações de fomento e assistência técnica, oferecendo serviços públicos dentro do permitido em Lei, como a transferência do núcleo para o município, busca de efetivação de parceria com o Incra para manutenção e execução de estradas rurais nos assentamentos, criação de uma patrulha mecanizada permanente (hoje com um trator e uma retroescavadeira) e ajuda na infraestrutura de abastecimento de água.

“Não estamos aqui só para pedir, trazemos propostas de parcerias, a prefeitura não pode atender todas as demandas dos assentamentos, o Incra precisa definir sua política na questão da reforma agrária, queremos formalizar um convênio para que a prefeitura possa atender as famílias com relação à manutenção das estradas, resolver a questão fundamental que é a questão da água, energia elétrica, nós estamos fazendo a nossa parte levando atendimento dos serviços públicos à população na comunidade como o Programa “Prefeitura nos Bairros”, e é somente através de um convênio firmado poderemos prestar contas sobre os gastos do dinheiro público com estradas e transporte em situações que é de responsabilidade do governo federal”, explicou o prefeito Adão Rolim.

Os vereadores Leocir Montagna, Marcos Paz e Rosmar Alves, também cobraram posição do órgão regional principalmente com relação à água potável, segundo Leocir Montagna, até a comercialização dos produtos está prejudicada já que a água é imprópria até para a irrigação.

O presidente da Câmara de vereadores, vereador Marcos Paz, abordou duramente aos encaminhamentos de documentos protocolados no órgão sem as devidas devolutivas, o que segundo ele dá uma visão de descrédito em relação à atenção dada pelo órgão aos assentados em suas demandas e aos encaminhamentos dos vereadores enquanto legítimos representantes da população.

O Incra por meio de seu Coordenador de Infraestrutura – Água, Energia e Estradas, informou em primeiro lugar estranha a colocação do vereador Marcos Paz sobre as devolutivas de encaminhamentos e se prontificou para verificar in-loco a situação. Com relação às demandas apresentadas, disse que entende a situação das famílias assentadas, mas que como servidor do Incra nada pode fazer, mas que a questão da água potável é uma situação que quando entrou no setor, o processo já estava em andamento, porém um problema na licitação suspendeu a ação.

Após a visita da vice-presidente do Incra Érica Galvani Borges, no estado analisou os autos de controle no estado que impediram algumas ações no estado, informou que o órgão já está retomando algumas ações com a liberação de mais 5 milhões de reais para serem investidos nos assentamentos rurais de Mato Grosso do Sul, e já está sendo licitado um nova empresa para a perfuração de poços artesianos e agora é uma questão de tempo regulamentar que acredito ser de mais ou menos 90 dias informou o Engenheiro Civil Marcelo. (fonte: idest.com.br)

Mais fotos



Comentários

Jeferson Tomazoni em 08 de Agosto de 2013 (quinta-feira) às 14:26

Parabéns à Comitiva que representando a população buscou o Incra para cobrar solução desses problemas tão graves que os Assentados enfrentam há mais de três anos. É um absurdo não ter água potável e as necessidades básicas supridas. Onde está o crédito para habitação, equipamentos, Pronaf mulher... Gostaria de ter sido convidado para a reunião, mas com certeza fui bem representado pelo Presidente da Casa.


Comentar esta notícia

Para comentar é necessário ser cadastrado no site, faça seu cadastro, clique aqui.

Apenas será permitido comentários relacionados a notícia.

O Idest reserva o direito de excluir ou editar comentários que julgar não condizentes com os termos de uso do site. Clique aqui para ler os termos de uso.

Esta versão ainda esta em testes (beta) e pode ocorrer erros inesperados.


São Gabriel do Oeste, MS, avenida Getúlio Vargas, 757, sala 210, Centro, Cep: 79.490-000 - (67) 3295-5584

© 2005-2014 Idest® - Todos os direitos reservados